O país de uma nota só, por Carlos Marighella

Conheço bem pouco de Carlos Marighella, um grande militante do Partidão (PCB) e que lutou arduamente pela liberdade e contra a violência da ditadura militar. O pouco que conhecia estava restrito à sua luta política, mas nesta semana descobri um livro de poesias muito interessante. Deixo aqui uma de suas poesias: O país de uma nota só.

“Não pretendo nada,
nem flores, louvores,
triunfos.
Nada de nada.
Somente um protesto,
uma brecha no muro,
e fazer ecoar,
com voz surda que seja
e sem outro valor,
o que se esconde no peito,
no fundo da alma
de milhões de sufocados.

Algo por onde possa filtrar o pensamento,
a ideia que puseram no cárcere.
A passagem subiu,
o leite acabou,
a criança morreu,
a carne sumiu,
o IPM prendeu,
o DOPS torturou,
o deputado cedeu,
a linha dura vetou,
a censura proibiu
o governo entregou
o desemprego cresceu,
a carestia aumentou,
o Nordeste encolheu,
o país resvalou.

Tudo dó,
tudo dó,
tudo dó…
E em todo o país
repercute o tom
de uma nota só…
de uma nota só…”

Referência do poema: “O país de uma nota só”, In Poemas: Rondó da Liberdade, São Paulo: Brasiliense, 1994, pp. 92-3.

Pra quem não conhece a música que os Racionais MCs fizeram em sua homenagem e memória: “Carlos Marighella – Mil faces de um homem leal” – https://www.youtube.com/watch?v=5Os1zJQALz8

Viva Carlos Marighella!